Apagão no Amapá acaba após 22 dias, afirmam governo e distribuidora de energia

0

Segundo transformador foi energizado na subestação de Macapá, dando fim ao rodízio de energia e normalizando o serviço, segundo as fontes oficiais.

O apagão no Amapá acabou após 22 dias. A energia do estado foi 100% reestabelecida e o rodízio de abastecimento terminou, informou a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) na manhã terça-feira (22). O apagão no estado começou em 3 de novembro, após um incêndio atingir a subestação de energia elétrica da capital Macapá. 

O segundo transformador da subestação Macapá foi energizado na madrugada desta terça, possibilitando a normalização, confirmou o Ministério de Minas e Energia. As informações são do portal G1.

Energia de 3 em 3 horas

Após quatro dias de blecaute, os moradores do estado passaram a vivenciar o rodízio de energia desde 7 de novembro. A energia era estabelecida em turnos de 3 em 3 horas e de 4 em 4 horas.

Sem água, telefone, internet e prejuíozos no comércio

A falta de energia prejudicou o abastecimento de água, os serviços de telefonia móvel e internet e causou prejuízo a moradores e comerciantes. Já houve mais de 120 protestos no estado desde que o apagão começou. As eleições municipais do Macapá foram adiadas devido ao estado de calamidade.

Transformadores

Com o incêndio de 3 de novembro, um dos transformados da subestação foi danificado e o outro foi completamente destruído. O transformador reserva estava em manutenção desde dezembro do ano passado.

O reestabelecimento foi possível com o conserto de um dos transformadores e com a chegada de um segundo equipamento, energizado nesta madrugada.

Na noite da última terça-feira (17), um novo apagão total atingiu todo o Amapá, e foi solucionado 4 horas depois.

Visita do presidente

Após 19 dias do apagão, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) viajou ao estado no último sábado (19). Acompanhado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), o presidente inspecionou usinas termelétricas e afirmou que a oferta de energia no estado se aproximava de 100%. A normalização, no entanto, só ocorreu nesta terça-feira (24).

O Governo afirmou que deve assinar uma medida provisória para isentar a população do Estado do pagamento de energia. O Tesouro deve fazer um aporte para bancar o benefício com custo entre R$ 45 milhões e R$ 80 milhões. Segundo o presidente, outras medidas emergenciais para contornar a crise do Estado estão em discussão.

Diário do Nordeste

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.