Mãe de Henry Borel chora na prisão, e Dr. Jairinho recebe atendimento em UPA no Rio de Janeiro

0

A professora Monique Almeida Barros, presa por suspeita de envolvimento na morte do filho Henry Borel, de quatro anos, chorou durante toda a primeira noite na cadeia, segundo apontou o portal G1 neste sábado (10). 

Ainda segundo a publicação, Monique faz uso de remédios controlados, mas teria passado a madrugada em constante nervosismo e chorando. 

Na quinta (8), quando foi presa junto de Jairinho em uma casa em Bangu, na Zona Oeste do Rio, a mãe de Henry Borel foi encaminhada ao presídio em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de janeiro. Ela ficará isolada em cela durante 14 dias.

Além do isolamento por causa da Covid-19, Monique ainda pode ficar mais tempo em cela isolada. De acordo com o G1, a medida seria evitar que ela seja agredida por outras presas.

Jairinho em UPA

Durante a primeira noite no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, Dr. Jairinho também chorou durante a noite, mas logo após retornar de atendimento médico.

O vereador foi encaminhado durante o dia a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no complexo. Também em isolamento como prevenção da Covid, ele não teve o estado de saúde divulgado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap).

Diário do Nordeste

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.