Projeto de Bolsonaro que prevê castração química e aumento de pena para estupradores pode voltar a pauta

0

O deputado federal Filipe Barros (PSL) protocolou um requerimento de urgência solicitando a avaliação do projeto de Lei 5398/2013, criado pelo então deputado Jair Bolsonaro em 2013, o qual prevê aumento da punição para abusadores sexuais, incluindo a castração química.

Acabo de protocolar requerimento solicitando a URGÊNCIA para votação do PL 5398/2013, de autoria do então Dep. Fed. @jairbolsonaro. Preciso de 171 assinaturas. Espero contar com apoio de todos que, na data de ontem, defenderam o aborto”, escreveu o parlamentar em sua rede social.

A deputada Carla Zambelli, também do PSL, já manifestou apoio: “Conta comigo, estamos assinando agora”, respondeu a parlamentar em sua conta no Twitter. Segundo o texto do projeto, se aprovado como lei, ele:

“Aumenta a pena para os crimes de estupro e estupro de vulnerável, exige que o condenado por esses crimes conclua tratamento químico voluntário para inibição do desejo sexual como requisito para obtenção de livramento condicional e progressão de regime.”Relacionados:  Gestão Bolsonaro entrega quase 8 mil ventiladores pulmonares para combate ao Coronavírus

A castração química se trata de um procedimento farmacológico, onde o medicamento atua inibindo a produção dos hormônios relacionados à libido.

Em países como a Indonésia, Rússia e Polônia, além de alguns estados dos Estados Unidos, a castração química é oferecida como forma de redução da pena, mas também como método de punição pelo crime de abuso sexual.

Terra Brasil

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.