Identidade de gênero e orientação sexual: Um dos possíveis temas a cair na redação do ENEM 2017

0

Com o aluno bem informado sobre o exame, agora sim é possível garantir que saber o tema da redação pode ajudá-lo. Sabe por quê? Porque para argumentar bem e demonstrar à banca examinadora seu conhecimento sociocultural é essencial estar bem informado sobre o tema proposto na redação.

TEMA: Gênero e identidade: Muito além da questão homem-mulher

CADA COISA É UMA COISA

Estas cinco características não estão necessariamente relacionadas:

1) Identidade de gênero

É o gênero com que a pessoa se identifica. Há quem se perceba como homem, como mulher, como ambos ou mesmo como nenhum dos dois gêneros: são os chamados não binários

Cisgênero: Identifica-se com o mesmo gênero que lhe foi dado no nascimento

Transexual e/ou transgênero: Identifica-se com um gênero diferente daquele que lhe foi dado no nascimento

2) Orientação sexual

A orientação sexual, e não opção sexual, diz respeito à inclinação da pessoa no sentido afetivo, amoroso e sexual. Ou seja, ela sente atração por qual gênero/sexo? Confira algumas orientações sexuais abaixo e lembre-se: todo ser humano merece nada menos do que respeito.

  • Homossexuais: é a atração afetiva e sexual por pessoas do mesmo gênero/sexo. As lésbicas, nesse contexto, são mulheres que gostam de mulheres, e os gays são homens que gostam de homens, também sendo o termo usado para mulheres.
  • Heterossexuais: é a atração afetiva e sexual por pessoas do gênero/sexo oposto.
  • Bissexuais: seria a atração afetiva e sexual por qualquer pessoa do binarismo de gênero: “homens” ou “mulheres”.
  • Assexuais: a assexualidade diz respeito às pessoas que não sentem atração por nenhum gênero. Mas vale ressaltar que ainda é uma “sexualidade” em construção.
  • Pansexuais: é a atração afetiva ou sexual que não depende de gênero ou sexo.

3) Expressão (ou Performance) de Gênero

Refere-se às maneiras que as pessoas usam para expressar seu gênero em sociedade, desde o uso de roupas e acessórios até detalhes físicos, como os gestos, as atitudes e o timbre da voz

4) Genitais

Vagina

– Pênis

– Ambos

5) Gênero

Conjunto de características sociais e culturais ligadas às percepções de masculino e feminino

Mais informações que podem dar uma melhor argumentação em sua redação:

1º FATO:

Governo tira “identidade de gênero” e “orientação sexual” do texto da Base Curricular por considerar os termos “redundantes”

As alterações foram feitas depois da divulgação do documento para a imprensa. A secretária Maria Helena Guimarães disse que as mudanças são uma “opção” da pasta, que não quer ser “nem a favor nem contra. Não trabalhamos com questão de gênero”.

Como era

  • “A equidade requer que a instituição escolar seja deliberadamente aberta à pluralidade e à diversidade, e que a experiência escolar seja acessível, eficaz e agradável para todos, sem exceção, independentemente de aparência, etnia, religião, sexo, identidade de gênero, orientação sexual ou quaisquer outros atributos, garantindo que todos possam aprender.”

Como ficou

  • “A equidade requer que a instituição escolar seja deliberadamente aberta à pluralidade e à diversidade, e que a experiência escolar seja acessível, eficaz e agradável para todos, sem exceção, independentemente de aparência, etnia, religião, sexo ou quaisquer outros atributos, garantindo que todos possam aprender.”

Outra mudança ocorreu na parte que cita as competências que devem ser trabalhadas no ensino fundamental:

Como era

  • “Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de origem, etnia, gênero, orientação sexual, idade, habilidade/necessidade, convicção religiosa ou de qualquer outra natureza, reconhecendo-se como parte de uma coletividade com a qual deve se comprometer.”

Como ficou

  • “Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de origem, etnia, gênero, idade, habilidade/necessidade, convicção religiosa ou de qualquer outra natureza, reconhecendo-se como parte de uma coletividade com a qual deve se comprometer.”

Na unidade temática “Vida e evolução”, especificamente no eixo “Vida e sexualidade”, previsto para o ensino de ciências do 8º ano do ensino fundamental, retiraram mais uma expressão:

Como era

  • “Selecionar argumentos que evidenciem as múltiplas dimensões da sexualidade humana (biológica, sociocultural, afetiva e ética) e a necessidade de respeitar, valorizar e acolher a diversidade de indivíduos, sem preconceitos baseados nas diferenças de sexo, de identidade de gênero e de orientação sexual”.

Como ficou

  • “Selecionar argumentos que evidenciem as múltiplas dimensões da sexualidade humana (biológica, sociocultural, afetiva e ética) e a necessidade de respeitar, valorizar e acolher a diversidade de indivíduos, sem preconceitos baseados nas diferenças de gênero”.

Link AQUI

2º FATO:

Qual a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual?

Embora muita gente os confunda, esses termos definem aspectos bem distintos de uma mesma pessoa.

LINK: http://mundoestranho.abril.com.br/saude/qual-a-diferenca-entre-identidade-de-genero-e-orientacao-sexual/

3º FATO:

Discriminação por orientação sexual e identidade de gênero esteve em debate na OAB

“O Brasil vive dias de discurso de ódio, de falta de compreensão das nossas diferenças. Somos uma sociedade absolutamente plural, multicolorida, multifacetada. Essa falta de compreensão das perspectivas de vida do outro gera aspectos de violência que preocupam a todos”, disse Cal Garcia.
A transexualidade é a não-identificação com o gênero de nascimento.

5º FATO:

Quem Sou Eu?: conheça crianças transgêneros na estreia da nova série

É o caso da Melissa, de 11 anos, que nasceu Miguel. Mel sempre se
viu como menina. ‘Pra mim, eu estava fantasiada de menino até 9 anos.’

Link: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2017/03/quem-sou-eu-conheca-criancas-transgeneros-na-estreia-da-nova-serie.html

6º FATO:
Quando fica difícil entender assuntos mais complexos, uma das saídas é usar a linguagem visual na explicação. E quando o tema é a diferença entre gênero, identidade de gênero e sexo, não tem jeito melhor que utilizar o lúdico de forma leve e divertida para a construção da ideia.
3/5 (2)

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO