Braço-direito de Fernandinho Beira-Mar é preso no Ceará

0

A Polícia Federal cumpre mandados de prisão no Ceará e outros cinco estados, além do Distrito Federal, contra a quadrilha de Luiz Fernando da Costa, conhecido como “Fernandinho Beira-Mar“. Braço-direito do traficante foi preso no Vicente Pinzón, em Fortaleza, e levado à carceragem da Superintendência da PF no Ceará.

Os policiais cumprem 35 mandados de prisão na operação batizada de “Epístolas” – 22 prisões preventivas, 13 temporárias- , além de 27 mandados de condução coercitiva e 86 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Ceará e Distrito Federal.

A Polícia Federal do Ceará deu cumprimento a quatro mandados de busca expdidos pela 3ª Vara Federal de Rondônia, durante a manhã. Dois foram cumpridos no Centro, e outros dois nos bairros Meireles e Vicente Pinzón, onde o alvo foi preso. Os imóveis nos outros endereços estão relacionados ao alvo no Estado, braço-direito de Fernandinho Beira-Mar, que não teve o nome divulgado.

A investigação começou há pouco mais de um ano quando a PF descobriu que o traficante continuava a liderar quadrilha, mesmo recolhido no presídio federal de Porto Velho, por meio de mensagens escrita em papel. Um bilhete picotado foi encontrado em uma marmita por agentes federais.

A Perícia constatou que o bilhete foi redigido pelo criminoso e trazia ordens a integrantes da quadrilha que estavam em liberdade. Ao longo das investigações, foram apreendidos 50 bilhetes endereçados ao preso. Por esse motivo, a operação se chama Epístolas, nome dado a textos enviados em forma de carta.

As investigações apontam que a quadrilha movimenta R$ 1 milhão por mês e utilizava principalmente casas de show e bares para lavagem de dinheiro, além de aquisições de imóveis e reformas.

Os presos preventivamente serão transferidos para o estado de Rondônia, e Beira-Mar deve ser transferido da Penitenciária Federal de Porto Velho.

Em 2015, Fernandinho foi condenado a 120 anos de prisão por liderar guerra de facções ocorrida em 2002 no presídio de segurança máxima Bangu 1, no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio. Ele acumula 15 condenações que somam mais de 300 anos.

Agência Brasil

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.