Ceará deve ter 1,7 milhão de doses para grupo de risco e começar a vacinar em fevereiro

0

Ceará deverá receber 1,7 milhão de doses da vacina contra o coronavírus ainda no primeiro semestre de 2021. A informação é do governador do Estado, Camilo Santana (PT), após apresentação do plano de vacinação pelo Governo Federal na manhã desta quarta-feira, 16, em Brasília

De acordo com Camilo, a expectativa é de que a vacinação comece em fevereiro e as primeiras pessoas a serem imunizadas no Ceará são os profissionais da saúde “porque estão na linha de frente no enfrentamento à Covid-19”. “A expectativa é que a gente já possa no mês de fevereiro iniciar essa vacinação, prioritariamente com os profissionais de saúde, pessoas idosas e com comorbidades. Há uma previsão de no primeiro semestre o Ceará receber 1,7 milhão doses”, disse o governador. 

Em seguida, o plano deve contemplar a vacinação de pessoas de grupos prioritários, como população indígena, professores, trabalhadores das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade. Cada grupo será vacinado por etapas. A meta do Governo do Ceará é vacinar 95% dos grupos prioritários, totalizando 1.794.076 pessoas.

Conforme explica Camilo, o Ceará já se organiza para não enfrentar problemas de logística da produção e aplicação da vacina. “Mesmo o Ministério tendo informado que está comprando 300 milhões de seringas e agulhas, nós também estamos comprando seringas, agulhas e refrigeradores para guardar as vacinas, porque, a partir do momento que o Estado as recebe, é responsabilidade nossa fazer toda a logística de distribuição para a população cearense”, informou o governador.

Na ocasião do lançamento do plano nacional, o atual ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello entregou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19. Em seu discurso, o ministro disse que era necessário “se orgulhar” da capacidade do País em lidar com saúde pública e defendeu que “o povo brasileiro tem capacidade de ter o maior programa de imunização do mundo”.

No evento, o presidente Bolsonaro disse estar honrado com a presença dos governadores, mas provocou: “Se algum de nós extrapolou ou até exagerou, foi no afã de buscar solução”. Ele também prestou homenagem ao presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, e finalizou: “Se Deus quiser, brevemente estaremos na normalidade”. 

O Povo

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.