Forças Armadas ajudarão no patrulhamento durante o 1º turno

0

Mais uma eleição está se aproximando e, com ela, outra vez, aparece a necessidade de atuação de forças federais no Estado.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, ontem, em plenário virtual, a vinda de integrantes das Forças Armadas para facilitar as atividades de segurança durante os pleitos municipais do dia 15 de novembro. O pleno da Corte decidiu enviá-los para 10 cidades cearenses: Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Pacajus, Horizonte e Itaitinga.

Dentre as justificativas apontadas para o envio das tropas, segundo o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, estão o histórico de conflito em pleitos anteriores, existência de conflito entre facções criminosas nas localidades, reduzido efetivo de policiais e acesso dificultoso aos espaços. Esse mesmo termo foi aprovado para outros 11 estados do País.

Segundo o ministro, a aprovação no TSE foi dada “para garantir o livre exercício do voto, bem como a normalidade da votação e da apuração do resultado do primeiro turno da votação em diversas localidades”. Desde 2012, pelo menos, o Tribunal aprova a vinda das Forças Armadas para ajudar no período das eleições no Ceará. Em 2018, por exemplo, quando houve a votação para governador, presidente, deputados e senadores, foram cinco municípios contemplados com a presença do Exército. O critério, à época, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), era que cada cidade possuía mais de 100 mil habitantes.

A reportagem entrou em contato com a área de Relações Públicas da 10ª Região Militar, em Fortaleza, a fim de saber quantos militares seriam disponibilizados para fazer o patrulhamento durante o pleito e como ele se daria. Contudo, até o fechamento desta reportagem, não houve resposta.

Diário do Nordeste.

Não existem avaliações

Deixe sua avaliação

DEIXE SEU COMENTÁRIO

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.